A Química Dos Perfumes

Química Perfumes

Todos adoramos o belo aroma de um perfume, mas já se perguntaram que misturas são necessárias, para se obter o resultado de uma boa fragrância?

A palavra “perfume” vem do latim per, que significa “origem de”, e fumare, que é “fumaça”. É possível que o seu uso se tenha originado em atos religiosos, em que os deuses eram homenageados por meio de folhas, madeiras e materiais de origem animal, que, ao serem queimados, liberavam uma fumaça com cheiro doce, como o incenso.

Química Perfumes
Os perfumes são então misturas complexas de compostos orgânicos. Inicialmente, as fragrâncias eram provenientes principalmente de óleos essenciais extraídos de flores, plantas, troncos, raízes e de animais selvagens, o que levou alguns destes a quase serem extintos. Hoje em dia, com o avanço da química, já se consegue produzir essas mesmas fragrâncias de forma artificial em laboratório, imitando os aromas naturais, sem ser prejudicial para a natureza.

Além das fragrâncias, os perfumes têm outros dois componentes principais: um solvente e um fixador. Geralmente o solvente utilizado é o etanol, e o fixador, tem o objetivo de prolongar o efeito do aroma, sendo que o mesmo retarda a evaporação da essência. Podem ser usados ainda corantes, para atribuir a coloração desejada ao perfume.

Deixe uma resposta